segunda-feira, 21 de março de 2011

Orgânicos: uma opção sustentável

Que os alimentos orgânicos são mais saudáveis, todo mundo sabe. E o que todo também mundo sabe, ou melhor, todo mundo costuma dizer é que eles custam mais caro. Para quem não tem o privilégio de dispor de terra ou não tem tempo ou ânimo para cultivar seus próprios alimentos, o consumo de orgânicos pode até parecer uma realidade distante.
Entretanto, há uma tendência crescente nas grandes cidades e uma boa opção para fugir das frutas, verduras e legumes cheios de veneno e ter sempre à mesa alimentos fresquinhos, direto da roça a um preço justo: são as cestas de orgânicos. Vendidas em lojas de produtos naturais ou em sua forma mais moderna, via internet, essas cestas costumam fornecer variados produtos da época e são entregues semanalmente na casa do consumidor. Por serem adquiridas com antecedência e com conteúdo a critério do produtor, elas oferecem custo-benefício maior se comparadas aos produtos orgânicos avulsos ofertados em supermercados e quitandas, pois não há intemediários.
Ao aproximar o consumidor do produtor, a agricultura natural valoriza a agricultura familiar (90% da produção orgânica brasileira é originária de propriedades cujo cultivo é baseado nesse sistema, segundo dados publicados no site Ambiente Brasil).
Além de não prejudicar o meio ambiente e sua saúde com a utilização de agrotóxicos e fertilizantes químicos, a produção orgânica resulta em alimentos mais saborosos e nutricionalmente mais ricos, dada a qualidade  do solo no qual eles são cultivados.
Em tempo: talvez você já tenha ouvido falar que os produtos orgânicos precisam ser certificados. Contudo, vale a máxima: nem todo produto orgânico é certificado, mas todo produto certificado é orgânico. A explicação é a mais simples possível: a certificação é um meio para garantir a procedência dos orgânicos. Trata-se de uma auditoria que perpassa toda a cadeia produtiva, a fim de evitar fraudes.
Lembre-se: quanto mais consumirmos os alimentos orgânicos, a tendência será a produção em maior escala e a queda nos preços (isso não quer dizer que a agricultura orgânica vá se tornar monocultura, longe disso). E então, que tal adotar uma alimentação saudável para você e o meio ambiente?

0 comentários:

Postar um comentário