quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Dia Internacional Contra a Monocultura de Árvores


Hoje, 21 de setembro, aprendemos na escola: é o dia da árvore. Entretanto, esse dia ganhou uma abordagem crítica: é o dia internacional contra a monocultura de árvores. E o que isso significa? Quando você compra um produto cuja matéria-prima é madeira advinda de fontes legais, geralmente está em destaque: "produto feito a partir de árvores de reflorestamento." Eis a questão: o que as empresas chamam de reflorestamento em nada lembram florestas. São extensas plantações de uma única espécie de árvore, em detrimento da biodiversidade. No Brasil, a espécie mais comum é o eucalipto (utilizado na produção de papel e celulose). Por se tratar de uma planta exótica, há uma série de danos ambientais, dentro eles a supressão da fauna e flora locais em função da demanda extrema de recursos aquáticos pelo eucalipto. Além disso, esses falsos reflorestamentos utilizam terras que poderiam ser empregadas para o cultivo de alimentos a fim de garantir a soberania alimentar. Como resultado, existem também prejuízos sociais, com o êxodo rural em consequência da ausência de trabalho. Esses são apenas alguns dos danos causados pela franca expansão das monoculturas ao redor do mundo, o que tem sido denominado pela comunidade científica e ambientalistas de "deserto verde".
Vale lembrar que algumas "soluções" fomentadas por governos e empresas para o problema do uso indiscriminado dos recursos naturais apenas agravam a expansão do deserto verde. Os créditos de carbono e também aqueles selos meramente publicitários e nada ecológicos (como o FSC - Forest Stewardship Council ou, em português, Conselho de Manejo Florestal), que garantem que as árvores usadas na indústria foram plantadas, são uma forma de distorcer as verdadeiras práticas dessas corporações em busca do lucro.
Por fim, lembre-se: se essas empresas adotam posturas ambientalmente incorretas e socialmente condenáveis, cabe a você, consumidor, agir com consciência, conhecer a origem do que compra e boicotar, divulgar e exigir mudanças. O estabelecimento da sociedade sustentável só será possível com o equilíbrio entre ações individuais responsáveis e práticas coletivas conscientes.

Para saber mais, visite:
Monocultura do eucalipto cresce sem proteção ambiental e social
Movimento Mundial pelas Florestas Tropicais (apenas em inglês e espanhol)
Não ao Deserto Verde!

Confira também algumas das principais empresas propulsoras do deserto verde brasileiro neste link!

Assista ao documentário "Cruzando o Deserto Verde" na íntegra clicando aqui!





0 comentários:

Postar um comentário